- Ache os Cursos e as Faculdades certas para você! Clique aqui!

- Bolsas de Estudo - são mais de 1.200 faculdades oferecendo descontos de até 75%! Saiba mais!

Versão para impressão     Enviar para um amigo    

Home : notícias

Inovação e empreendedorismo são tema do 3º Congresso de Gestão da UBM que segue até esta sexta-feira (7/10)

Fonte: Imprensa UBM

07/10/2016



A abertura do 3º Congresso de Gestão, Inovação e Sustentabilidade do Centro Universitário de Barra Mansa (UBM)  recebeu o Diretor de Inovação do Sistema Firjan, Bruno Souza Gomes, para ministrar a palestra “Inovação e Empreendedorismo”. O evento aconteceu no Cine 9 de Abril, em Volta Redonda, e contou com a presença dos cursos de Engenharia, Ciências Contábeis, Administração, Jornalismo e Tecnólogos.

O tema escolhido contemplou a tendência do mercado mundial e colocou em pauta o que Bruno definiu como ´empreendedorismo inovador´: “No Brasil temos muitos empreendedores, mas eles não são em grande parte inovadores. O resultado disso é que muitos empreendimentos não conseguem mercado”, comentou.

A inovação não tem a ver com criatividade, segundo Bruno. “Muitas vezes a criatividade é intrínseca à pessoa, mas a inovação é um processo que depende de técnica e não somente da empresa, mas do ambiente em que se está inserida. Também não dá para pensar em inovar sem desenvolvimento tecnológico e empresarial e muito menos sem ambiente de negócio”, apontou. Em sua visão, as leis e o mercado precisam ser favoráveis para demandar a inovação.

Para Bruno, o meio acadêmico é o berço principal de onde vão surgir os empreendedores inovadores. “Existe um estímulo, como o que vemos hoje, para que os jovens empreendam e abram os seus negócios e pensem em uma inovação que possa alavancar o desenvolvimento econômico do país. Então, quando a universidade traz para a pauta o tema de empreendedorismo, está estimulando o aluno a investir em suas ideias, ele considera as técnicas aprendidas e se torna capaz de realizar”.

O Brasil está em 10º lugar em empreendedorismo, mas em inovação a posição está muito atrás de outros países. Bruno explica que isso ocorre muito pela desconfiança do povo brasileiro. “Parte do processo de inovação em nosso país tem que iniciar pela mudança de comportamento das pessoas. Quando se fala de inovação, alguém sempre tem receio de expor a ideia por medo de que alguém a roube. Isso faz parte da nossa cultura e isso precisa ser mudado e leva tempo. As pessoas precisam se conectar mais e trocar mais ideias. Tudo começa e termina pelas pessoas, porque ninguém inova sozinho”, destacou.

O Congresso segue até esta sexta-feira (7/10) nos campi Cicuta e Barra Mansa.





Versão para impressão     Enviar para um amigo